Buenos Aires, Parte 2

Casa RosadaNo dia seguinte dei uma volta pelo centro da cidade para ver os pontos turísticos ‘obrigatórios’: Plaza de Mayo, Casa Rosada, o prédio do Congresso, Av. 9 de Julio, a avenida mais larga do mundo com 14 faixas e pontuada pelo famoso obelisco de Buenos Aires, visível de várias partes da cidade.

Próximo a Casa Rosada havia uma outra jóia portenha, a rua Florida, com tudo que um turista pode querer: casas de câmbio, restaurantes, lojas de souvenir e produtos de couro, hippies vendendo artesanato nas calçadas e apresentações de artistas por toda parte. Grupos musicais completos tocavam ritmos argentinos na rua enquanto turistas se aglomeravam para ver as atrações, que iam desde bandas até duplas ou músicos sozinhos até jogadores de futebol fazendo embaixadinhas e teatro de fantoches. E não é só na Rua Florida, Buenos Aires inteira está tomada por arte, nas ruas, nas calçadas, nas paredes, por toda a cidade se respira arte.

Estátuas no Cemitério da RecoletaMais tarde fui no famoso Cemitério de la Recoletta, que fica no bairro mais rico da cidade, e é onde Evita está enterrada. A idéia de um cemitério ser uma atração turística me pareceu estranha no início mas tendo ido lá só posso dizer que é um belo lugar que vale a pena ser visitado. Mausoléus bem cuidados com belas estátuas em estilo clássico compõem um cemitério luxuoso como nenhum outro que eu já tenha visto.

A noite fomos no La Cabrera, o restaurante mais famoso da cidade, que fica em Palermo, o bairro de classe média alta dos parques, shoppings, gastronomia e vida noturna. La Cabrera é a churrascaria argentina de excelência que atrai milhares de turistas todas as semanas. As portas abrem as 19h e desde as 18h30 as pessoas começam a formar uma fila para entrar, isso por que os primeiros clientes da noite pagam metade em todos os pratos, é o happy-hour. E toda essa antecipação tem fundamento já que a carne é incrivelmente macia e deliciosa. E o preço no happy-hour é surpreendentemente acessível para um restaurante de luxo que até mochileiros podem pagar.

A cultura da carne e do couro é muito forte em Buenos Aires, mas também há muitos vegetarianos por aqui e vi muitas pessoas vestindo camisetas com a frase: “Meat is Murder”. Parece o lugar ideal para reinvindicar os direitos dos animais.

No final de semana fomos a San Telmo, o mais antigo bairro de BA, onde surgiu o tango e que hoje se encontra em uma charmosa ‘decadência’, tendo atraído muitos artistas depois que as famílias ricas migraram para as partes mais novas da cidade, fugindo de um surto de febre amarela no século 19.

Feira de San TelmoGarrafas na Feira de San TelmoFomos direto para a Plaza Dorrego, o ponto central de San Telmo e onde aos domingos há uma famosa feira de antiguidades. Milhares de pessoas caminham pela praça e pela Rua Defensa, por onde a feira se estende até a Casa Rosada. Centenas de barracas com quase tudo que se pode imaginar encontrar em uma feira como essa: antiguidades, souvenirs, quadros, artesanato, roupas, comida, apresentações de tango e turistas, muitos turistas.

A tarde eu queria ir ao jogo do Boca Juniors na Bombonera, mas o ingresso, que normalmente custa entre AR$25 e AR$50, estava sendo vendido por AR$500 no albergue, em um pacote que incluía transporte e um guia. É a típica armadilha para gringo que eu não precisava cair. Então peguei um ônibus e fui direto para o estádio, consegui comprar o ingresso de um cambista por AR$100, mas depois descobri que era pra ficar na torcida do time adversário, o Lanús. Tudo bem, pelo menos eu iria ver o jogo.

A bola começa a rolar e a cena é maravilhosa, as arquibancadas verticais repletas de azul e amarelo, ambas as torcidas torcendo e gritando com todo o coração, recitando músicas e balançando bandeiras por toda parte. Logo o Boca faz 1×0, com Riquelme, e depois 2×0, mas mesmo assim a torcida do Lanús não para de gritar e cantar por um minuto sequer. Até que no final do 1o tempo o time desconta  contra o Boca e no 2o tempo consegue o empate. Uma euforia fantástica toma conta da torcida do Lanús e quase explode em adrenalina quando o time faz o gol da virada, da vitória inacreditável de Davi contra Golias. Mas alguns segundos depois o gol é anulado por impedimento e o jogo termina mesmo 2×2. Saí do estádio contente por ter assistido o jogo na torcida rival, depois de ter sido tomado pela euforia dos torcedores do Lanús.

04No dia seguinte, segunda feira, havia uma apresentação de um grupo chamado La Bomba Del Tiempo em uma antiga fábrica transformada em centro cultural. O grupo de percussão se apresenta ali toda semana e já virou uma sensação em BA, atraindo locais e turistas todas as semanas para suas animadas performances com mais de 30 músicos. Em um país onde não existe o swing brasileiro do samba, isso é o mais próximo que eles chegam de um Olodum. E a atmosfera do lugar é realmente fantástica.

E assim chega ao fim a minha passagem por Buenos Aires. Próximo destino: Eco Yoga Park, uma fazenda hare-krishna há 1h da cidade onde mochileiros ‘zen’ vão param meditar, praticar yoga, comer comida vegetariana e trabalhar em uma horta orgânica.

Enquanto ainda estava em BA descobri uma ótima banda portenha que faz um rock bem psicodélico: Soda Stereo.

Isaac Brum (isaac_brum@yahoo.com.br)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s